Médico é preso por envolvimento em casos de doação ilegal de órgãos em SP

Nesta terça-feira (9/5), o médico Álvaro Ianhez, de 76 anos, foi preso em Jundiaí, no interior de São Paulo, pelo envolvimento na morte de Paulo Pavesi, um menino de 10 anos, ocorrida em 2000 na cidade de Poços de Caldas, em Minas Gerais. A criança teve seus órgãos retirados de forma irregular, e o Ministério Público constatou que os documentos que atestavam sua morte cerebral foram forjados para fins de doação. Essa prisão ocorreu após uma condenação de Ianhez a 21 anos e 8 meses de prisão por homicídio duplamente qualificado, emitida pelo Tribunal do Júri de Belo Horizonte em abril de 2022. 

Detalhes da prisão e condenação: Apesar da condenação, a defesa de Ianhez havia solicitado a possibilidade de recorrer em liberdade, pedido que foi negado pela Justiça na época. No entanto, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais emitiu um novo mandado de prisão contra o médico após a negação de um habeas corpus pelo ministro Rogério Schietti, da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça. É importante ressaltar que o Supremo Tribunal Federal havia cassado uma decisão anterior do STJ que impedia a prisão do médico, o que culminou na sua detenção. 



Recomendamos