Padre suspeito de roubar hospital dos pobres para comprar imóveis de luxo

Padre Egídio de Carvalho Neto, de 56 anos, é o centro de uma investigação que abalou a comunidade de João Pessoa, na Paraíba. O religioso, que até recentemente ocupava a posição de diretor-presidente do hospital Padre Zé, está sob suspeita de desviar recursos que deveriam ser destinados a este hospital, que presta atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As alegações apontam que o padre teria usado o dinheiro desviado para adquirir imóveis de luxo, bens caros e até mesmo para cobrir despesas pessoais, incluindo viagens.

O hospital Padre Zé, que atende a população carente na região de João Pessoa, sempre foi um símbolo de esperança e apoio àqueles que mais necessitam. No entanto, as alegações contra o padre Egídio sugerem uma profunda traição à confiança da comunidade e ao propósito original da instituição.



Recomendamos